Quando é recomendado mudar a marca da empresa?

Quando é recomendado mudar a marca da empresa?

A Callink está de marca nova, focada nos pilares da empresa: pessoas, tecnologia e clientes. Com o tema “Somos apaixonados por diálogo”, a empresa mostra a atenção com a conversa e o atendimento em seus processos.

Essa mudança reflete a busca por inovação e relacionamentos da Callink, demonstrando na identidade visual o diferencial oferecido para o mercado. Mas será que toda empresa se beneficia de uma repaginada?

Se feita pelos motivos certos, pode funcionar. Vejamos o que costuma dar certo e o que não:



Funciona quando...

... reflete uma mudança de foco já implementada entre clientes. A marca muda para demonstrar essa nova fase e a aceitação é natural.


... a identidade visual está atrelada a uma estratégia de mercado, seja para mostrar as qualidades oferecidas ou para atender as necessidades dos clientes e/ou mercado.


... simplifica um conceito que define a empresa de forma visual, clara e objetiva. É quase um resumo, uma foto 3x4 na identidade da empresa.



Não funciona quando...

... a mudança é motivada para esconder uma marca ou produto defeituoso ou com má fama. A qualidade começa do serviço/produto até a identidade visual, e não o contrário.


... é apenas uma mudança estética ou perde a relação total com o histórico da marca antiga. As mudanças radicais, sem embasamento, causam estranheza nos consumidores.


... não representa visualmente o que a empresa faz ou produz. Um visual ambíguo ou muito conceitual até funciona em nichos específicos, mas não ajuda a consolidar uma marca em um mercado mais amplo.